quarta-feira, 23 de maio de 2007

VEJA, que desgraça para o jornalismo !



Todos já sabemos o que a Veja representa para toda a sociedade, um emaranhado de mentiras protecionistas da elite nacional. O pior de tudo é que esta revista tem, além de uma grande movimentação entre os setores que carecem de informação, tem grande alcance internacional.
O mais intrigante é que com todos os interesses já revelados pela própria, de uma maneira ou de outra, nada se faz para que a hipocrisia e a manipulação toda pare de circular!
Bom, o que me levou a escrever sobre isso foi uma recente publicação (nem tanto assim) que li sobre o caso de Cho, o assassino sul-coreano na universidade dos EUA.
Na matéria dizia simplesmente que todo o estudo sociológico e antropológico feito, ou que possivelmente poderia ser feito, nada mais era do que lixo, que não servia para estudo do objeto, ou seja, o assassino só é assassino porque tem um desequilíbrio mental e (pasmem, realmente existe um idiota que pense isso) ele foi influenciado por filmes violentos...
"É um comportamento paranóico, comum também entre terroristas"
Essa frase me deixou perplexo, como se pode atribuir tantos comportamentos paranóicos, com base comuns, para tantas pessoas? Será que seus depoimentos, quando dizem que os EUA ou mesmo as pessoas em seus meios sociais, são culpadas de uma maneira ou de otura, por seus sofrimentos, de nada valem? Não, não defendo aqui os assassinatos realizados, pelo contrário, não acho nem que foram necessarios e nem válidos mas os motivos apresentados são motivos para o entedimento do acontecimento e acredito não ser exatamente o caso dele mas hoje nós já entendemos que o sistema proporciona às pessoas, ferramentas de liquidação de outras. Aula básica de economia; Todo país tem a moeda que circula e dessa moeda nada pode ser retirado ou acrescentado, pois se feito, por exemplo como a emissão de mais notas acima do valor real, certamente ocasionará inflação com sério advento de aprofundamento ou criação de uma dívida externa, o que significa que todo aquele que recebe, retira de alguém. Portanto isto necessariamente é um fator decisivo para acepção ou entendimento de alguns casos. Por outras palavras, a exclusão social se deve à barreira criada pela sociedade que limita a inclusão do mesmo nas rodas sociáveis.
"Efeito imitação"
Bom, já sabemos que esse "efeito", se assim pode-se chamar, realmente existe na sociedade como uma massa. Entretanto, devemos lembrar que a massa como um todo NÃO É CONSIDERADA MENTALMENTE DESEQUILIBRADA. Isto talvez fosse um fator limitante para esta associação à Cho. Fora a visão superficial, devemos lembrar que a imitação, se houve, não foi mais influente do que os outros fatores, sejam lá quais foram, pois, é óbvio que os motivos dos filmes e principalmente o filme associado na reportagem, nada tem a ver com os de Cho, acho que nada fica mais explícito que isso, e até onde eu me recordo, precisa existir alguma ligação entre os objetos de estudo para se falar em influência e não uma simples foto que devido ao ângulo e claro, a própria arma, a posição mais comum é evidente a todos e por isso talvez uma enorme coincidência, explorada pelo hipócrita autor da reportagem. Quanto ao fator "fama", que ele diz que a notícia se espalha com tanta facilidade que é fácil influenciar alguém, se referindo à outros casos como o de Columbine. Acho que a questão da fama influenciar alguém está intimamente ligada a primeira parte e acho que o tipo de fama adquirida pelos autores dos crimes, não é de total capacidade influenciadora, afinal de contas, não só a mídia mas como a sociedade simplesmente repudiará tal fato.
Também na matéria o autor comenta que é fácil adquirir armas legalizadas nos EUA mas que ainda assim, o índice de homicídios é um terço do Brasil. Por que será? Vamos descartar a antropologia e a sociologia nesse caso e falar em pról dessa elite, então descobriremos a resposta que ele quer manipular, que todos que cometem crimes nasceram aptos à tal. Contradição evidenciada.
Por último gostaria de lembrar que o jornalismo deve apresentar fatos imparcialmente para a não manipulação de opinião e que, obviamente neste caso, o autor fugiu da ética jornalista deixando então de ser um jornalista também. Infelizmente isto acontece em várias ramos de comunicação da sociedade, como o pior âncora de todos os tempos, Carlos Nascimento no SBT. Sempre após alguma mentira jornalística ele faz algum comentário inescrupuloso e mentiroso, manipulando toda a população, já que esta não terá informação sobre os acontecimentos além do próprio jornal. É uma disputa interminável entre as elites e das elites contra o povo.

2 comentários:

Celso Lungaretti disse...

Cara, li seu comentário no meu blog, mas não achei uma via de contato mais direta contigo. Então, por favor, escreva para mim: naufrago-da-utopia@uol.com.br

Um forte abraço!

Fausto disse...

Camarada, GRANDE blog esse que você escreve. Eu vi seu profile no orkut na comunidade RASH e na curiosidade resolvi entrar no seu blog onde tive uma surpresa! Não é um blog comum, como tantos por aí, mas uma real manifestação da existência de vida inteligente na internet.

Continue com o grande trabalho.

MSN: panzerfaust_br@hotmail.com