segunda-feira, 21 de maio de 2007


Para a primeira postagem gostaria de esclarecer que o intuito é de levar toda a cultura libertária e revolucionária à visão dos leitores deste blog e abrir para os mesmos, possibilidades de implementação de idéias, críticas e comentários.
Hoje, como ato de inauguração, somente postarei um pequeno texto.

Quando laços são desfeitos

Então Liberdade e Justiça iniciaram uma discussão:
- Como pôde ter feito o que fez?
- Apenas cumpri com meu dever, Liberdade. – Retrucou Justiça
- Justiça, qual é o seu dever?
- Julgar segundo as provas e então, salvar ou condenar os homens segundo a constituição.
- Então há muito a sanidade já lhe deixou.
- Não me venha com seus conceitos irreais sobre seu trabalho, sabe que não há regras que se apliquem a você!
- Conceitos irreais? Você acaba de condenar um homem que roubou para sobreviver!
- Ele desandou sobre as leis.
- E quando foi que justiça a todos se tornou proteção a poucos? Descaso social?
- Quando foi que Liberdade tornou-se Libertinagem? Não fale sobre aquilo que não convém, pois, libertinagem sempre foi um dilema desrespeitoso.
- Libertinagem se emancipa a partir de falsos conceitos e irrealidades ou fatos e argumentos explorados para depreciação da imagem, quando não pública. Agora, ter feito o que fez e dizer que exploro a libertinagem? Isto é hipocrisia!
- Apenas enamoro fielmente a constituição. E roubo, é crime!
- Se roubo é crime então que condene os criadores de suas leis! Defendem a propriedade privada, quando esta, é crime! É a expropriação do direito dos pobres e a sua constituição foi concebida para defendê-la! Pense Justiça! Pense! Quando um homem que detém poderes aquisitivos, que já tem tudo que deseja irá violar as leis? E o homem que nada tem e tão pouco oportunidades para ter? É assim que perpetuam a sua fortaleza e defesa! Explorando os pobres e os controlando afim de manipular suas mentes como soldados moldados a ferro e fogo!
- Sem leis, não há ordem!
- As pessoas estão sendo governadas, mas não são governáveis! São ingovernáveis, autônomas!
- Em eras remotas de extrema irracionalidade, estamos em uma era evoluída! A sociedade caminha! A história já nos provou de como precisamos de um governante e suas leis!
- Evolução anda de mãos dadas com a represalha e hipocrisia? É como se nos andássemos de mãos dadas! A história já provou que não!
- Ah Liberdade... Há tempos discutimos. Deveríamos trabalhar juntas! Assim não teríamos tantos embates.
- Abraçadas aos seus documentos, juntas seríamos totalitaristas, absolutistas, ditadores do pior calão!
- Minhas escritas de regras não nos deixariam errar em um momento siquer.
- Exatamente como agora há pouco? A constituição promove o ódio e a morte e devido a seus atos passados milhões de miseráveis esperam que você apóie sua mão amigavelmente em seus ombros ou morrerão na crença da falsa esperança.
- Não sabe do que fala Liberdade! Sua utopia nos enterraria em um mundo caótico!
- As realidades nasceram das utopias, e caótico é a situação atual; mesmo isso, depois do caos, a paz.
- Paz apenas se mantermos a mão de ferro, a garantia de segurança de todos, o direito da constitucionalidade e o ingresso das leis na sociedade.
- Amordaçando e mutilando cada um que levantar o peso da sua voz contra a sua presença?!
- Não se iluda Liberdade, é a única maneira...
- Então hoje é o dia em que a Justiça se tornou outra entidade e esqueceu seu ofício seduzido pelo poder e mensagens de auto desordem culminando de vez com toda a esperança e meu trabalho. Justiça, você é mesmo cega.
- Seu trabalho não é feito por incompetência sua.
- Se meu trabalho não é feito é por omissão de terceiros.
Um segundo de olhares fixos e Liberdade pôs-se a partir e ao virar de costas Justiça brandiu sua espada e desferiu o golpe. Foi assim que a Liberdade sucumbiu à Justiça.

por, Desertor

4 comentários:

Danilo disse...

Porra di mais cara
precizar to aki
legal mesmo
Como diz alguem "boto fé"
hhehe
abração até

Celso Lungaretti disse...

Aqui é o Celso Lungaretti. Você deixou um comentário no meu blog. Se quiser me contatar, escreva p/ naufrago-da-utopia@uol.com.br

Um forte abraço

Fausto disse...

A Justiva positivista é burra, mas não jogue sua raiva na Justiça como se toda fosse igual a mesma. A Justiça tem que ser crítica e sempre reflete a sociedade em que permeia, não há sociedade sem leis, "ubi societas, ibi jus", tudo o que devemos fazer é conseguir fazer um Direitos Libertário, uma nova visão da Justiça que anda sendo desenvolvida em vários países e por várias das maiores mentes do mundo. Aconselho o livro Penas Perdidas de Hulsmann, procure uns artigos sobre esse livro.

Abraços!

desertor disse...

sem leis sim, sem regras nao.
acredito em justica, como a conhecemos hoje, com pouca objetividade, sempre visando a subjetividade na qual a sociedade sempre andou. De qualquer maneira, o texto queria passar a ideia de justica como ela eh, e nao da justica por si so. Nao acho que uma Justica tem que ser desenvolvida, uma sociedade nao eh desenvolvida, no maximo ela se desenvolve, por isso, acho que o minimo possivel de leis objetivas, e realmente julgar os casos, o maximo possivel, sempre lembrando das premissas atuais de cada sociedade em cada epoca, eh o que deveria ser feito.
vo procurar agora uns artigos!
valeu o comentario amigo!